Quinta-feira, 17 de Abril de 2008
Só Visto 306 - Polícia escreve poesia nos relatórios de ocorrências
«O larápio olhou-se ao espelho: cansado, de barba por fazer e na ânsia por um pouco de nicotina, decidiu renovar o seu suplemento numa loja na esquina». O excerto parece-se com literatura, mas é, na verdade, o relato de um roubo descrito por um polícia «erudito» nos autos de ocorrência, noticia o site G1 da Globo. Os relatórios elaborados por Ilka Ivari, «o polícia poeta», chamaram a atenção das autoridades de Hameenlinna, no sul da Finlândia. Foi advertido pelo Ministério do Interior, mas diz que vai continuar a seguir a sua vocação literária. «Posso preservar o meu estilo, desde que não misture factos com ficção», diz Ivari. O porta-voz da polícia não vê problemas. «A polícia pode registar factos até mesmo em versos, desde que respeitem o regulamento», afirma Marko Luotonen. Ilka Ivari é estudante de redacção na universidade local e diz que até agora só recebeu elogios.


publicado por Master Roshi às 09:10
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

19
20

22
24
27

29
30


posts recentes

Só Visto 469 - Falta de s...

Só Visto 468 - Grupo de a...

Só Visto 467 - E o prémio...

Só Visto 466 - Roubou qua...

Só Visto 465 - Têm de pro...

Só Visto 464 - Cobras fun...

Só Visto 463 - Número oit...

Só Visto 462 - Peixe de t...

Só Visto 461 - Tribunal r...

Só Visto 460 - Macaco «br...

arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds