Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008
Só Visto 257 - Escuteiros ameaçam processar Media Markt por campanha ofensiva
A actual campanha publicitária da Media Markt com o slogan "Eu é que não sou parvo" está a revoltar os escuteiros. Estes ameaçam a empresa com um processo judicial caso não suspenda o anúncio, noticia a Lusa. O chefe do Corpo Nacional de Escutas, Carlos Alberto Pereira, enviou um ofício à empresa classificando a campanha de "clara, objectiva e intolerantemente ofensiva para os 80 mil escuteiros portugueses e suas famílias". O dirigente pede " a suspensão imediata da referida campanha publicitária e a cessação da menção aos escuteiros". Caso contrário "teremos de agir judicialmente, quer civil, quer criminalmente", avisa Carlos Alberto Pereira. Por seu lado, a Media Markt lamentou a "errada interpretação que foi dada por alguns", argumentando que a campanha se baseia no seu slogan "usado a nível internacional 'Eu é que não sou parvo', adaptado à língua materna de cada país". A publicidade em questão teve "como ideia central a criação de uma nação fictícia - a Parvónia - onde vivem os seus originários cidadãos: Os Parvos", explicou ainda a empresa em comunicado enviado à Lusa. A Media Markt acrescenta que "todo o tom da campanha é humorado e bem-disposto, não querendo nunca ofender, retratar de forma agressiva ou ferir a susceptibilidade de qualquer grupo ou entidade social". A empresa defende ainda que nunca teve a intenção de "retratar classes políticas ou sociais nem (...) denegrir a imagem de grupos sociais tão importantes e fundamentais para a sociedade como o são todas as corporações de escuteiros, que para muitos jovens portugueses foram e são uma grande escola de vida". O personagem do escuteiro é acompanhado na campanha por três "cidadãos da Parvónia" de visita a Portugal: o presidente, um general e a miss do país imaginário. Entretanto surgiu na Internet uma petição que exige "a retirada do anúncio e um pedido de desculpas", explicou à Lusa Nuno Castela Canilho, dirigente do Agrupamento de Escuteiros 1037 da Mealhada e primeiro signatário da petição. "A publicidade não precisava de um escuteiro para dar a ideia dos parvos" e se este "não estivesse fardado era igual", salientou o responsável escutista.


publicado por Master Roshi às 19:09
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

19
20

22
24
27

29
30


posts recentes

Só Visto 469 - Falta de s...

Só Visto 468 - Grupo de a...

Só Visto 467 - E o prémio...

Só Visto 466 - Roubou qua...

Só Visto 465 - Têm de pro...

Só Visto 464 - Cobras fun...

Só Visto 463 - Número oit...

Só Visto 462 - Peixe de t...

Só Visto 461 - Tribunal r...

Só Visto 460 - Macaco «br...

arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

blogs SAPO
subscrever feeds